Buscar
  • Fernanda Barroso

ei, por que você se cobra tanto?



olhe para si mesma e me responda: por que não consegue ter aquele olhar de compaixão que anda distribuindo para outros por aí?


pensa comigo: se você critica sua casa, dizendo que ela é pequena ou grande demais ou que tudo está sempre uma enorme e intragável bagunça, você jamais vai se sentir bem estando ali. criticar demais um espaço acaba fazendo com que você não se sinta bem nele, não é?


é nesse sentido que, ao insistir em se criticar, apontar suas dificuldades e seus erros, criticar sua aparência dizendo que poderia ser mais isso e menos aquilo, pensar em como poderia ter feito mais ou buscado mais e... é assim que você vai fazer com que jamais se sinta bem consigo mesma.


entenda, por favor, que você é sua própria casa e que tudo bem não gostar de alguns detalhes, mas a questão é não deixar com que isso se torne algo grandioso, você entende? porque é verdade que estamos acostumados a nos culpar. parece já ser natural nos culparmos por um detalhe que não saiu como esperado, por falhar, por esperar demais, por sentir demais ou de menos, por criar expectativas... e com isso, esse sentimento vai corroendo por dentro, ocupando cada mísero espaço que encontra e tirando a leveza que um dia carregamos.


por isso, eu te digo: você precisa escutar mais os conselhos que dá.

sabe quando disse para aquela amiga que ninguém nunca poderia dizer como ela deveria ser? que ela jamais deveria mudar quem é para agradar alguém? lembra quando você mostrou os caminhos, disse para alguém se perdoar e se amar? você precisa disso também.


tente olhar para si com o olhar que direciona para as pessoas que ama.

é um processo, obviamente, mas você precisa investir em si mesma para

aprender a se amar com todo o seu coração.

coloque-se em primeiro lugar, se escute um pouco mais e se dê a devida atenção. carregue nada além de leveza e sentimentos bons.

não deixe para ser feliz quando alguma coisa acontecer ou só quando alguém chegar.

seja feliz hoje, com a sua própria presença e jamais se compare: todos somos únicos. não se esqueça de que cada um tem seu tempo e que existe um tempo que é ainda muito maior que tudo isso.


olhe mais para si. isso não é um ato de egoísmo ou de egocentrismo, é só um cuidar de sua própria casa, entende?


- Fernanda Barroso (@entrenossos)

12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo